Browse By

Estoque de sangue no Estado entra em situação crítica no final do ano

Pode ser apenas mais um dia no trânsito e por fatalidade o trajeto é interrompido por um acidente. Era para ser só um exame de rotina, mas o diagnóstico é de uma doença em estado avançado que precisa urgentemente de cirurgia. Essas são situações que todos estão sujeitos o tempo todo, quanto menos se imagina a vida pode estar por um triz. E é aí que contar com um estoque de sangue abastecido faz a diferença.

De acordo com a assistente social da Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron), Maria Luiza Pereira, a situação é crítica e a tendência é piorar neste período que antecede as festas de fim de ano. ‘‘Não é que aumente o número de cirurgias, mas o que acontece é que diminui muito a quantidade de doadores. Já é comum isso acontecer no final de ano devido às férias. Também coincide com as chuvas, o que inibe as pessoas de ir até o local de doação de sangue’’, destacou.

A assistente social explicou que ações estratégicas são adotadas para evitar que falte sangue para as demandas dos hospitais de Rondônia. ‘‘Nós enviamos cartas para os doadores cadastrados para aqueles que têm tipagem sanguínea em quantidade muito baixa no estoque, também enviamos mensagem pelo celular em parceria com a Pastoral da Saúde da igreja Católica e ainda usamos um grupo de whatsaap para sensibilizá-los. Também acreditamos que a divulgação pela imprensa é uma boa maneira de aumentar o estoque’’, considera.

Sensibilizem

tablea-doacao-sangueA Fhemeron pede que os rondonienses se sensibilizem a aumentar o estoque de bolsas de sangue. ‘‘Estamos há 30 dias sem conseguir aumentar o estoque. Trabalhamos o mês de novembro todo com estoque crítico, e entrando o mês de dezembro com estoque muito baixo. Temos menos de 50 bolsas do tipo A+ e O+, quando o ideal seriam 100’’, disse.

Em Porto Velho há cerca de 70 mil doadores cadastrados, mas para a assistente social fidelizar os doadores e atrair novos ainda é um grande desafio. ‘‘Quando se trata de doação de sangue é algo muito sério. É preciso desprender muita solidariedade e consciência em ajudar o próximo. E esse é o nosso desafio: criar cidadão conscientes que doar sangue salva vidas, independente de ter uma familiar ou amigo precisando, mas de doar mesmo que seja para alguém que nem se conheça’’, afirmou.

Demanda

A Hemorrede de Rondônia é formada, além da unidade de Porto Velho, pela de Ariquemes, Ji-Paraná; Rolim de Moura, Cacoal e Vilhena. Segundo a assistente social, as bolsas de sangue arrecadadas por essas unidades são distribuídas conforme a demanda do estado, sendo a Fhemeron a única instituição responsável pelo estoque de sangue em Rondônia e que atende à demanda dos hospitais públicos e particulares.

Deixe uma resposta