Browse By

Aposentadoria, corrupção, insônia e outros bichos

Aposentadoria, somente depois de reencarnado.

Com a nova regra da aposentadoria, o trabalhador vai precisar de duas vidas para alcançar o fator previdenciário. O imbróglio será provar ao INSS que está na segunda vida. A não ser que você reencarne como político, especialmente deputado ou senador, aí não precisará do INSS.

Internacional está sofrendo bullying.

Antes mesmo de ser rebaixado para a série B do Brasileirão, o Internacional estava sofrendo bullying. Desta vez foi por conta da Fifa, que na abertura do torneio munidal de clubes, divulgou um vídeo em seu site apresentando os campeões da competição ano a ano, desde que a entidade assumiu a disputa, porém ao postar o campeão de 2006, que no caso foi o Inter, estava a foto dos jogadores do Corinthians, campeão de 1999. Pobre Colorado, 10 anos depois de campeão mundial, cai para a série B, vê seu maior rival, o Grêmio, campeão da copa do Brasil e tem a sua foto de campeão mundial 2006 substituída no vídeo da Fifa. Que fase, heim!!!!

O corrupto nunca vence.

Diante da deflagração da operação Imprevidência da Polícia Federal, temos mais uma clara concepção do efeito devastador causado pela corrupção. Quem paga o maior pato, sabemos que é a sociedade, porém a semeadura também atinge o corrupto. Quando se desvia dinheiro para financiar uma campanha vitoriosa, com certeza é uma vitória sem glória. Mas no caso de Nazif, que nem chegou ao segundo turno, é perder duas vezes: Na urna e na moral. Caso tivesse vencido as eleições, seria vitória nas urnas e derrota na vida, pois a colheita chega para o vencedor e o perdedor, a diferença está apenas no prazo. Com o tempo se descobre que na roubalheira todos são perdedores.

Quanto era mesmo?

E por falar em Imprevidência, o esquema desmantelado pela operação da Polícia Federal teria sido criado, de acordo com os investigadores, para levantar dinheiro para a campanha de Mauro Nazif à reeleição. Pois bem, estamos falando de R$ 80 milhões, não é verdade? Pelo jeito, se a coisa toda tinha realmente essa finalidade, o “troco”…. hein? Hein? Rapaz, esse troco ia ser de quanto mesmo, hein?

Muita gente com insônia.

Com o desencadeamento de várias operações da Polícia Federal em 2016, muitas investigações não pararam nas primeiras ações de buscas e apreensões e mandados de prisão. Há operações que se estendem há anos. Um exemplo bem claro é a operação Lava Jato. Com esse cenário, há muita gente que não dorme há um bom tempo. Quem sabe não é uma oportunidade para os tais fazerem um bico no trabalhar como vigia noturno? Já que não dorme mesmo, por que não se beneficiar com a insônia?

Mas é bem provável que não vão acatar minha sugestão, pelo simples motivo que trabalho é uma atividade lícita e demanda honestidade. Essa não é a praia dessa corja.

Contra a impunidade.

Pelo menos duas iniciativas estão avançando no Congresso Nacional para combater a corrupção. Uma delas é a PEC 10/2013, da autoria do senador Álvaro Dias, que propõe o fim do foro privilegiado. Outra, é a PEC 18/2014, do senador Acir Gurgacz. O texto de Acir propõe acabar com o foro privilegiado para políticos, ministros, desembargadores, promotores e outros agentes públicos, eleitos ou não, que cometerem crimes contra a administração pública. O negócio é avançar com essa PEC.

Pode não dar Rock.

Em meio ao corre-corre de pessoas transitando pela Assembleia Legislativa do Estado, encontramos cidadãos de todas as origens e intenções no local. Existem vereadores da Capital e do interior, secretários, prefeitos e também charlatões de todas as modalidades tentando vender seu peixe a parlamentares. Na maioria das vezes são projetos milagrosos e se comportam como cientistas políticos e extremamente intelectuais – os verdadeiros sabichões. Outro dia encontrei com um, que segundo ele, “fazer negócio com parlamentar nem sempre pode ser um bom negócio”. O mesmo estava decepcionado ao não ter a promessa honrada, e esbravejou: “Fui enrolado, meu negócio não deu rock”.

Deixe uma resposta