Browse By

Projetos em defesa do idoso de Lúcia Tereza são aprovados pela Assembleia

A deputada Lúcia Tereza (PP), é autora de três projetos de lei que irão beneficiar o idoso, criando o apadrinhamento ao idoso e a delegacia eletrônica. A parlamentar também teve aprovado projeto que beneficia a quem realiza concursos, sendo obrigatório a divulgação dos gabaritos com justificativas da resposta.

O Projeto de Lei (504/16) que dispõe sobre a criação da Delegacia Eletrônica de Proteção às Pessoas com Deficiência e Idosos (Deppdi), e dá outras providências irá possibilitar no portal da Secretaria de Segurança Pública, um “ícone” da Deppdi para que se registrem denúncias de crimes contra pessoas com deficiência de qualquer gênero e a idosos.

Para a parlamentar, o objetivo do portal é proporcionar agilidade das denúncias e das averiguações dos crimes praticados. Lúcia destaca que nos dias atuais, é comum pessoas se utilizarem da internet para a denúncia de crimes e infrações à legislação em geral.

“Essas pessoas são alvos fáceis de indivíduos que, aproveitando de sua frágil condição física e psíquica, acabam cometendo crimes absurdos e, muitas vezes praticados por integrantes de suas próprias famílias”, ressaltou Lúcia Tereza.

Outro projeto aprovado em sessão ordinária na noite de quarta-feira (14), de autoria da deputada Lúcia Tereza (503/16), autoriza o Poder Executivo a criar o Programa de Apadrinhamento Afetivo “Um Lar Para os Idosos”.

Segundo a parlamentar, há um grande número de idosos em nosso Estado que estão totalmente desprovidos de afeto familiar. Abandonado fica sob os cuidados de entidades governamentais e não governamentais em tempo integral, muitos são doentes e outros carentes de afeto e atenção, perdendo completamente a referência de família.

No sentido de uma maior interação da população com a prática de ações afirmativas e para que se possibilite a demonstração de comprometimento com a causa, a ideia do apadrinhamento afetivo dos idosos que se encontram desamparados pelos familiares, surge para ser um alento a esta parcela da população desassistida, afirmou Lúcia Tereza.

A parlamentar complementa que a pessoa idosa que se encontra no abrigo depende única e exclusivamente dos profissionais que ali trabalham e realizam esforço incomum, para atender da melhor forma possível a todos os idosos.

Com o projeto explica Lúcia, um padrinho que possa visitar este idoso, levá-lo para passear ou para passar um final de semana em sua casa, ou até mesmo quando a condição de saúde não permitir, ajudar o idoso com os cuidados da saúde, alimentação e vestuário, dentre outros direitos assegurados no Estatuto do Idoso “é um extremo gesto de amor e solidariedade”, concluiu.

Deixe uma resposta