Browse By

Zona Sul da Capital ganha creche com capacidade para atender 350 crianças

O prefeito de Porto Velho, Mauro Nazif, entregou na última quinta-feira, dia 22, à população da zona sul da cidade, mais uma creche. Localizada no bairro Eletronorte, a Escola Municipal de Educação Infantil Professora Ronilza Cordeiro Afonso Dias, foi financiada pelo Governo Federal por meio do Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos (Proinfância).

Da tipologia B, a creche tem 1.118.48m2 e custou R$ 2 milhões aos cofres públicos. A escola é composta de bloco administrativo, bloco de serviços, bloco multiuso, pátio coberto e bloco pedagógico com oito salas de aulas. Funcionará em dois turnos e tem capacidade para 350 alunos de 4 a 5 anos. Atenderá, além do Eletronorte, a comunidade dos bairros vizinhos.

Homenagem

Ao fazer a entrega da creche, o prefeito Mauro Nazif lembrou das dificuldades enfrentadas pelo município para inaugurar a unidade educacional e também da homenagem prestada à servidora da Secretaria Municipal de Educação (Semed). “Essa é uma justa homenagem e fico feliz que ela é feita para um funcionário da área. Isso valoriza a pessoa e mostra o trabalho digno que desempenhou enquanto em vida”, afirmou o prefeito.

A filha da homenageada, Raiane Afonso Rosas, emocionada, agradeceu a homenagem e lembrou que desde de criança, sempre viu a mãe pegando a estrada ou descendo o rio Madeira para lecionar na zona rural. “Ela era mais do que uma professora, ela era uma amiga, uma companheira das pessoas. Ela estava sempre pronta para ajudar alguém. Essa é a lembrança que tenho dela”, disse.

Moradora do bairro Eletronorte, a professora Ronilza Dias nasceu em 1973, em Porto Velho. Iniciou no serviço público em 1995 como professora na zona rural. Em 2009, ingressou no quadro da Semed como professora das séries iniciais na Escola Municipal de Ensino Infantil Castanheira, onde atuou também como vice-diretora e, posteriormente, diretora do estabelecimento. Faleceu em 2015.

Trajetória

“O que marcou sua trajetória foi o fato de ela ser uma pessoa simples e preocupada com a educação, em especial a infantil. Sempre buscou dar uma atenção especial ao trato das pessoas, acolhendo e orientando a todos como se fizessem parte da família. Ela não fazia distinção e sua força de vontade, espírito de sacrifício e capacidade de renúncia a tornaram um exemplo de mãe, mulher e educadora”, frisou a secretária-adjunta da Semed, Jandernora Rodrigues.

Deixe uma resposta