Browse By

Governo incentiva cadeiras de agroecologia e produção orgânica no Ifro

Projetos que integrem ensino, pesquisa e extensão voltados a técnicas de agroecologia e produção orgânica são prioridade nas ações governamentais. Na última semana, no Instituto Federal de Rondônia (Ifro), campus Calama, em Porto Velho, por iniciativa do governo de Rondônia houve a primeira reunião para tratar da inclusão das matérias na grade curricular do instituto.

Alexsandro Quirino, gerente de agroecologia da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri); e Marcos Machado, responsável pelo acompanhamento da chamada de Ater em Agroecologia da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), estiveram no gabinete da professora Gedeli Ferrazzo, coordenadora de formação inicial e continuada do Ifro, com o objetivo de promover alinhamento sobre o apoio financeiro por meio da chamada MCTIC/Mapa/MEC/Sead – Casa Civil/CNPq nº 21/2016.

No caso de Rondônia, os recursos preveem a criação de Núcleo de Estudo em Agroecologia e Produção Orgânica (NEA) e do Centro Vocacional Tecnológico de Agroecologia (CVT).

Conhecimento

Os recursos são oriundos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ministério da Educação (MEC) e Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário da Casa Civil da Presidência da República (Sead) para projetos que integrem ensino, pesquisa e extensão, visando a construção  e socialização do conhecimento e técnicas relacionadas à agroecologia e produção orgânica.

O valor global da chamada para todo o Brasil é de R$ 10,7 milhões, e 15% deste valor é destinado à região Norte. “O objetivo  é estimular  as instituições de ensino, aptas para submissão de propostas, porque desta forma aumenta a probabilidade de aprovação de propostas do estado de Rondônia”, afirmou Alexsandro.

Demanda

“O intuito é divulgar a chamada e estabelecer um diálogo  com outras instituições de ensino para que possamos criar os Núcleos e os Centros de Agroecologia e Produção Orgânica para atender uma demanda crescente deste segmento em Rondônia”, explicou Evandro Padovani, titular da Seagri.

Deixe uma resposta