Browse By

Ensino Médio Regular via satélite reinicia aulas na segunda-feira, dia 13

O Projeto de Mediação Tecnológica do Ensino Médio em Rondônia reinicia as atividades na próxima segunda-feira, dia 13, com previsão de atendimento a mais 55 escolas abrangendo 1,3 mil alunos. No ano passado, dois mil alunos de 85 escolas tiveram aulas via satélite em 55 municípios e distritos.

“O aproveitamento foi excelente”, elogiou a coordenadora do projeto, Giovanna da Silva.

Segundo ela, 26 professores com especialização e mestrado voltam a ministrar aulas ao vivo no estúdio do Instituto Federal de Rondônia (Ifro), na avenida Jorge Teixeira, em Porto Velho, e os conteúdos são aplicados e esclarecidos por 150 professores presenciais.

No comparativo entre o desempenho do ensino médio regular em escolas estaduais em 2015 e daquelas com mediação tecnológica em 2016, as primeiras aprovaram 75% dos alunos, deixaram 14,19% retidos, e constataram 10,49% de desistentes – alunos que ainda não passaram, ficam dependentes de alguma matéria e precisam ser promovido ao próximo ano. Na mediação, o índice de aprovação alcançou 83.46%, apenas 2,64% ficaram retidos e 8,19% desistentes.

O projeto começou a funcionar em 2016 e ingressa agora no segundo ano. O prazo da parceria com o Ifro encerra-se no final de 2018.

Parceria

“A parceria é fundamental para o êxito do programa; a mediação alcança regiões bem isoladas, até mesmo dentro do município de Porto Velho (34 mil Km²)”, destacou Waldineide Bandeira, da área pedagógica.

Segundo Waldineide, todos os gastos pertinentes ao projeto são de responsabilidade do estado. A parceria com o Ifro se deve também ao fato de a instituição oferecer o ensino técnico profissionalizante, capacitando alunos para o ingresso à universidade e ao mercado de trabalho.

Tecnológico

Desde o início do projeto, a Seduc distribui às escolas o kit tecnológico composto por antena, receptor, TV, computador, netbooks e impressoras.

Mas nem tudo se resume à modernidade tecnológica. O projeto ampliou também o espaço da Seduc na inserção ambiental, conforme lembra a professora Daniele Braga Brasil. Segundo ela, alunos de diversas escolas participaram ativamente de aulas de noções básicas de agroecologia.

Deixe uma resposta